Unctad critica subsídios agrícolas

11 fevereiro 2009

A agência da ONU disse também que a especulação nos mercados financeiros e de matérias primas tinham agravado o impacto da crise em África.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, Supachai Panitchpakdi, disse a uma reunião regional na Namíbia que o trabalho do órgão na área de matérias primas tomaria este ano em consideração a segurança alimentar.

O chefe da Unctad disse a uma conferência sobre produção agrícola em Windhoek que a crise de comida não era um acontecimento isolado, mas que fazia parte de uma crise generalizada de desenvolvimento.

Fome

Panitchpakdi disse que o facto de milhões de africanos dormirem com fome todas as noites era um sinal de que a crise alimentar no continente era permanente.

Entre algumas das causas da actual crise, ele enumerou a especulação nos mercados financeiros e de matérias primas e os subsídios agrícolas nos países desenvolvidos que desencorajam a produção agrícola em África.

O ex-chefe da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Rubens Ricupero, disse à Rádio ONU, de São Paulo, que três outros factores tinham exacerbado o impacto da crise no continente africano.

Liquidez

"O crescimento mundial desabou. Talvez este ano chegue perto de zero. O preço das matérias-primas caíu também de uma maneira brusca e a liquidez mundial em termos financeiros desapareceu. Então os países da América Latina e da África vão se ver afectados por estes três factores que eram os que tinha favorecido o crescimento deles" afirmou.

Durante a reunião, a Unctad promoveu a agricultura orgânica como a melhor forma para proteger o meio ambiente e ao mesmo tempo garantir a segurança alimentar e desenvolvimento social em África.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud