Acordo político no Sudão atingiu fase crítica, diz Ban

5 fevereiro 2009

Secretário-Geral reconhece progressos na implementação do acordo geral de paz assinado entre o norte e o sul, em 2005, mas alerta para inúmeros desafios no futuro.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Quatro anos após o acordo de paz que pôs termo a duas décadas de guerra entre o norte e o sul no Sudão, a situação de segurança no país permanece frágil e imprevisível, afirma o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, num relatório enviado ao Conselho de Segurança.

Os sudaneses votarão num referendo em 2011 para decidir se a região sul deverá continuar a fazer parte do Sudão ou tomar-se um país independente.

Unidade

Ban afirma no relatório que o Acordo Global de Paz, CAP, atravessa actualmente uma fase crítica, a dois anos do seu termo. O Secretário-Geral reconhece progressos na sua implementação, mas alerta para inúmeros desafios no futuro.

Ban Ki-moon fala da necessidade de resultados concretos, incluindo o fornecimento de serviços básicos nas áreas do sul, afirmando que até agora nenhuma das partes apresentou um argumento convincente sobre as vantagens da unidade.

O Secretário-Geral apelou às partes do CAP para aproveitarem os últimos dois anos do acordo para explorarem todas as opções disponíveis afim ter tornar a unidade mais atraente.

Mandato de Captura

Ban também manifestou preocupação sobre a reacção sudanesa à emissão de um possível mandato de captura do Tribunal Penal Internacional contra o presidente Omar al-Bashir, por alegados crimes de guerra e genocídio em Darfur.

O Acordo Global de Paz no Sudão, assinado entre o norte e o sul em 2005, pôs fim a um conflito que matou cerca de 2 milhões de pessoas e forçou 4,5 milhões a fugirem das suas casas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud