FMI prevê crescimento de 3,3% em África

4 fevereiro 2009

Órgão pediu à comunidade internacional para respeitar o compromisso que assumiu na última cimeira do G8 sobre assistência ao desenvolvimento.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, revelou que a crise financeira global vai ter uma impacto significativo na África sub-Saariana este ano.

A taxa de crescimento económico de 3,3% prevista para 2009 é superior às taxas projectadas para os países desenvolvidos, mas representa uma queda acentuada em relação a anos anteriores, disse Antoinette Monsio Sayeh, a directora do departamento África no FMI.

Ela falava esta quarta-feira, em Paris, numa conferência sobre o crescimento sustentável em África neste clima de crise financeira global.

Matérias Primas

Sayeh disse que os países da região iriam enfrentar uma desaceleração do crescimento económico mundial, uma queda nos preços das matérias primas e uma redução nos fluxos financeiros internacionais.

O Fundo Monetrário Internacional pediu à comunidade internacional para respeitar o compromisso que assumiu na última cimera dos oito países mais industrializados, G8, em relação à assistência ao desenvolvimento.

Avanços Sociais

De acordo com as últimas projecções do FMI, o crescimento económico na África sub-Saariana não deverá ultrapassar este ano os 3,3%, menos três pontos percentuais do que as projecções feitas pelo fundo em Abril do ano passado.

Sayeh disse que o grande desafio para África em 2009 é manter a estabilidade dos seus mercados económico e financeiro, sem afectar os avanços alcançados nestes últimos anos, particularmente na área social.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud