Conselho de Segurança suspende sessão sobre Gaza
BR

6 janeiro 2009

Países-membros, líderes da Liga Árabe e da Autoridade Palestina, nações convidadas e o Secretário-Geral discursaram durante encontro de 5 horas; reunião será retomada na manhã desta quarta-feira em Nova York.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança suspendeu uma sessão especial para debater a situação do conflito na Faixa de Gaza. O encontro deve ser retomado na manhã desta quarta-feira, em Nova York.

Representantes de Israel e da Autoridade Palestina, dos 15 países-membros do conselho, o líder da Liga Árabe e o Secretário-Geral da ONU discursaram durante quase cinco horas de reunião.

Resolução

A operação militar de Israel na área já matou pelo menos 580 pessoas e deixou mais de 2,5 mil feridas.

Um dia antes da reunião, representantes da Liga Árabe já estavam em Nova York para negociar os termos de um projeto de resolução pedindo o cessar-fogo imediato.

Em seu discurso, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, condenou a violência e pediu liberdade incondicional para os palestinos.

Destruição

Abbas finalizou a intervenção pedindo que o mundo ajude a colocar um fim ao que ele chamou de genocídio e destruição. Ele pediu ao Conselho de Segurança que não permita a morte de mais nenhuma criança palestina. E que coloque fim ao massacre de seu povo, deixando os palestinos viverem e serem livres.

A embaixadora de Israel na ONU, Gabriela Shalev, que falou logo após o presidente palestino afirmou que nos últimos oito anos, o sul de Israel foi alvo de 8 mil foguetes palestinos.

Terror

Ela afirmou que nenhum país poderia permitir este tipo de ataque. Segundo ela, Israel buscou evitar todos os dias o conflito atual. E lembrou que em 2005, Israel tirou de Gaza todos os seus soldados e cidadãos para criar as condições de paz para os palestinos.

A representante de Israel afirmou que o movimento islâmico Hamas não tem interesse na paz, mas sim no terror.

A sessão de emergência no Conselho de Segurança foi realizada horas após dois ataques com mísseis terem matado pelo menos 30 pessoas em duas escolas da ONU em Gaza.

Reunificação

Ban mencionou os ataques e disse que eles eram inaceitáveis.

O Secretário-Geral enumerou os passos que considera fundamentais para se alcançar uma solução duradoura.

Segundo Ban, é preciso promover a unidade dos palestinos e a reunificação de Gaza com a Cisjordânia sob o comando da Autoridade Palestina.

Ele afirmou ainda que é necessário retomar, urgentemente, as negociações para uma solução política para o conflito.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud