Guterres diz que número de refugiados está a crescer

Guterres diz que número de refugiados está a crescer

Num discurso no Conselho de Segurança, chefe do Acnur (foto) apresentou os últimos dados sobre a situação dos refugiados e que, a cada seis meses, o número de pessoas que morre na RD Congo é o mesmo que morreu no tsunami no sudeste asiático.

João Rosário, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, informou esta quinta-feira o Conselho de Segurança sobre a actual situação dos refugiados no mundo.

Guterres iniciou o seu discurso dizendo que o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, presta assistência a mais de 11 milhões de pessoas, apenas uma parte dos cerca de 40 milhões de refugiados e deslocados que existem no mundo.

Aumento

O alto comissário notou que o número de refugiados e deslocados aumentou desde 2006, ano em que se registaram os mais baixos dados desde há 27 anos.

António Guterres atribuiu o aumento às situações de conflito no Iraque e na Somália.

O alto comissário da ONU disse que o Darfur regista o que considerou “um desastre humanitário e de direitos humanos”. Guterres disse que a solução para a República Democrática do Congo deve ser política, envolvendo os países vizinhos.

RD Congo

António Guterres disse que, a cada seis meses, o número de pessoas que morre na RD Congo é o mesmo que morreu no tsunami de Dezembro de 2004 no sudeste asiático.

Embora tenha dito o Acnur não está presente em Gaza, o alto comissário reiterou o apelo para que os direitos dos civis sejam respeitados e que sejam autorizados a procurar segurança e asilo fora da zona do conflito.

O alto comissário sugeriu que os mandatos das missões de paz da ONU fosse claros e fortes no que respeita à protecção de civis e do pessoal humanitário.