EUA buscam reforçar capacidade da Aiea (Português para o Brasil)

21 janeiro 2009

Declaração baseou-se em depoimento de Hillary Clinton durante sabatina sobre cargo de secretária de Estado americana; ela disse que trabalhará por ratificação de Tratado sobre Proibição de Testes Nucleares, Ctbt.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, afirmou que o governo do novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, procurará reforçar o trabalho da agência da ONU.

A afirmação foi feita após o depoimento da ex-senadora Hillary Clinton durante a sabatina dela para ser confirmada no cargo de secretária de Estado americana.

Executivo

Clinton afirmou que irá trabalhar para que o Tratado sobre Proibição de Testes Nucleares, Ctbt (na sigla em inglês) seja ratificado pelos Estados Unidos.

O subsecretário-geral das Nações Unidas para Assuntos de Desarmamento, Sérgio Duarte, disse à Rádio ONU, em Nova York, que uma possível ratificação americana poderia encorajar outros países a fazer o mesmo.

“Os Estados Unidos é um país, que pela importância que tem, obviamente ajudaria. Mas isso não depende do Executivo. O Executivo pode encaminhar ao Senado e o Senado pode ou não ratificar.

Orçamento

Mas há esperanças agora que a ratificação pelos Estados Unidos possa acontecer e que isso possa levar a um aumento do número de ratificantes para que finalmente o tratado entre em vigor”, disse.

A Aiea afirmou que, de acordo com a proposta de Hillary Clinton, os Estados Unidos ainda pretendem dobrar o orçamento da agência além de reforçar a capacidade do órgão de verificar o uso pacífico da energia nuclear.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud