Enviado da ONU na RD Congo

21 janeiro 2009

A missão da ONU na RD Congo, Monuc, confirmou a entrada de cerca de 2 mil soldados ruandeses no país.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.

O enviado especial do Secretário-Geral da ONU para a região dos Grandes Lagos, Olusegun Obasanjo, reuniu-se em Kinshasa com o presidente Joseph Kabila da República Democrática do Congo.

O chefe de estado congolês informou o enviado de Ban Ki-moon sobre as operações conjuntas, em curso, entre a República Democrática do Congo e o Ruanda contra o movimento rebelde das Forças Democráticas de Libertação do Ruanda, Fdlr.

Estas operações deverão prosseguir por algumas semanas.

Milícia Hutu

A missão da ONU na República Democrática do Congo, Monuc, confirmou na terça-feira a entrada de 1.500 a 2.000 soldados ruandeses no Congo.

Segundo um porta-voz militar da missão, Jean-Paul Dietrich, essas forças estavam agora a caminho da localidade de Rutshuru, no leste do país.

Dietrich disse à Rádio ONU que a Monuc tinha pedido às duas partes para protegerem as populações civis e os deslocados, apesar das Nações Unidas não terem participado no planeamento da operação conjunta congolesa-ruandesa contra a Fdlr.

As Forças Democráticas de Libertação do Ruanda, Fdlr, são uma mílicia hutu cujos líderes estão associados ao genocídio no Ruanda em 1994.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud