ONU elogia decisão dos EUA de fechar Guantánamo
BR

22 janeiro 2009

Alta comissária de Direitos Humanos, Navi Pillay, também saudou medidas para proibir métodos de interrogação contrários à lei internacional.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas elogiaram a decisão do novo governo dos Estados Unidos de fechar a prisão de Guantánamo.

A afirmação foi feita num comunicado pela alta comissária de Direitos Humanos, Navi Pillay.

Métodos

Leia o boletim de Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

“A medida, anunciada nesta quinta-feira, pelo presidente americano, Barack Obama, também prevê a probição de métodos de interrogação, que segundo Pillay, contrariam a lei internacional.

A alta comissária da ONU também pediu uma revisão pelos Estados Unidos dos mandados de prisão contra indivíduos que estejam no exterior, como por exemplo em países como Iraque e Afeganistão.

Navi Pillay afirmou que o fato de Obama ter dado prioridade ao fechamento de Guantánamo, o que deve ocorrer em um ano, é animador.

Violência

Ela lembrou que os Estados Unidos sempre foram, no passado, um defensor ferrenho dos direitos humanos.

Pillay disse ainda que casos de tortura, detenções prolongadas sem direito a julgamento, e interrogações com uso de violência jamais deveriam ter ocorrido.

A alta comissária também elogiou a decisão de Barack Obama de estabelecer um cronograma para regularizar a situação dos presos em Guantánamo.”

A prisão de Guantánamo foi aberta após os atentados contra os Estados Unidos em 2001.

Em 2006, a ONU pediu o fechamento do centro de detenção e repetiu o apelo várias vezes, nos últimos anos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud