Situação de refugiados na Itália preocupa

23 janeiro 2009

Cerca de 2 mil refugiados estão superlotando um centro com capacidade para apenas 850 pessoas na ilha de Lampedusa, no sul do país.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, informou, nesta sexta-feira, que está preocupado com a situação dos cerca de 2 mil refugiados na ilha de Lampedusa, no sul da Itália.

Segundo a agência, as pessoas, em sua maioria somalis e eritreus, estão abrigados num centro com capacidade para apenas 850 pessoas.

Condições Precárias

De acordo com o Acnur, o centro de Lampedusa era destinado ao alojamento temporário de refugiados, que seguiam para outros locais no sul da Itália enquanto esperavam a decisão sobre seus pedidos.

Mas, após uma mudança na política do governo italiano, no início deste ano, todo refugiado deve permanecer em Lampedusa até que receba uma resposta.

O porta-voz do Acnur, William Spindler, falou à Rádio ONU, de Genebra, sobre as condições no centro de refugiados.

“Neste momento há quase 2 mil pessoas em condições muito precárias. Entre elas crianças e mulheres que estão sem os serviços básicos, que não têm ao menos uma cama para dormir. São pessoas que, em muitos casos, sofreram experiências terríveis em seus países de origem, mas também durante a viagem para chegar a Lampedusa,” disse.

Segundo o Acnur, a superlotação não está só piorando a situação humanitária dos refugiados, mas também dificultando o trabalho da agência.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud