Moçambique e Angola previnem surto de cólera

2 dezembro 2008

Países estão a trabalhar com Organização Mundial de Saúde para evitar que a epidemia que afecta o Zimbábue se espalhe pela região.

João Rosário, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, está a colaborar com as autoridades sanitárias de Moçambique e de Angola de forma a impedir que o surto de cólera que afecta o Zimbabué passe a outros países do sul da África.

Segundo a ONU, o número de mortos pela cólera ascende a mais de 470 e há mais de 11 mil zimbabueanos infectados desde que a doença foi detectada, em Agosto.

Água Potável

A OMS considera estar perante o pior surto de cólera no país, dos últimos 15 anos. A agência lançou um apelo para reunir US$ 2 milhões de forma a conseguir meios para combater a doença no período de um mês.

A agência da ONU alerta para o risco da doença alastrar-se nos países vizinhos do Zimbabué, como Moçambique e a África do Sul além de Angola, também localizada na África Austral.

Febre Alta

A Organização Mundial de Saúde tenta lutar contra o aumento do número de infecções providenciando água potável às populações, mantendo as pessoas infectadas em isolamento e estabelecendo centros de controlo de saúde nas regiões mais afectadas do Zimbabué.

A cólera é uma doença altamente infecciosa que provoca febre alta, fome, dores no corpo e diarreia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud