Acordo sobre bombas de fragmentação

3 dezembro 2008

Explosivos causaram milhares de mortes e contaminação do solo em várias partes do mundo.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Vários países estão firmando em Oslo, na Noruega, a Convenção sobre Bombas de Fragmentação.

O acordo proíbe uso, produção, estoque e transferência dos explosivos, que já mataram ou feriram milhares de pessoas em todo o mundo.

Vítimas

Segundo o documento, os países também se comprometem a destruir arsenais e limpar áreas contaminadas pelas bombas.

O coordenador da Campanha Brasileira contra Minas Terrestres e Bombas Cluster, Cristian Wittman, explicou à Rádio ONU, de Oslo, outras recomendações do documento.

“Este tratado é um sucesso também porque ele tem medidas muito claras de que os países têm que limpar as áreas afetadas e destruir seus estoques. Aqueles que tenham vítimas precisam ter medidas muito fortes de auxílio às vítimas das comunidades afetadas”, explicou.

Nova York

De acordo com especialistas, as bombas foram desenvolvidas durante a Segunda Guerra Mundial. Nas últimas décadas, grupos de ativistas começaram a pedir a proibição dos explosivos responsáveis por mortes e ferimentos graves de muitos civis.

Após firmada pelos países representados em Oslo, a Convenção sobre Bombas de Fragmentação deve ser trazida para Nova York, onde será colocada à disposição para mais assinaturas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud