ONU condena ataque com ‘menino-bomba’ no Afeganistão BR

ONU condena ataque com ‘menino-bomba’ no Afeganistão

Enviado especial ao país, Kai Eide(foto), disse que atentado usando criança demonstra desrespeito do Talebã por direitos humanos; quatro fuzileiros morreram.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York*.

As Nações Unidas condenaram, de forma veemente, um ataque a bomba, que teria sido praticado por um menino de 13 anos, no Afeganistão.

De acordo com a polícia afegã, o menor detonou os explosivos matando quatro fuzileiros navais da Grã-Bretanha, na província de Helmand, no norte do país.

Condolências

O enviado especial da ONU ao Afeganistão, Kai Eide, disse que o ataque suicida demonstra, novamente, o desrespeito total do movimento Talebã pelos direitos humanos.

Eide prestou condolências à família e aos amigos dos que foram mortos e feridos.

Segundo ele, o uso inescrupuloso de crianças não pode ser justificado de nenhuma maneira. O representante especial afirmou que coagir ou forçar crianças para este tipo de ação é totalmente inaceitável.

Situações de Guerra

Kai Eide pediu ao movimento islâmico Talebã que pare de usar crianças em situações de guerra.

O ataque ocorreu na véspera de um outro atentado, que matou três policiais afegãos, na cidade de Kandahar, no sul do país.

Segundo agências de notícias, pelo menos 12 pessoas ficaram feridas, cinco policiais e sete civis.

Também no sábado, em Kandahar, três soldados do Canadá morreram após passarem com um carro perto de uma bomba, plantada na rua.

Apresentação*: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.