Mia Farrow na RD Congo

Mia Farrow na RD Congo

Atriz visitou acampamentos de refugiados, no leste do país, e disse que crianças são recrutadas para luta armada; segundo Farrow, cólera atinge centenas de pessoas todos os dias.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A atriz de Hollywood, Mia Farrow, afirmou que mulheres e crianças estão sendo vítimas do que ela chamou de atrocidades bárbaras na República Democrática do Congo. Ela pediu o fim do recrutamento de menores para a luta armada na província de Kivu Norte.

Farrow, que também é embaixadora da Boa Vontade do Unicef, falou a jornalistas em Genebra, após retornar de uma visita de três dias ao país africano.

Deslocados

Segundo a atriz, as pessoas estão sendo vítimas de crimes como estupro, mutilações, torturas, seqüestros e assassinatos em suas próprias casas.

Pelo menos 300 mil pessoas ficaram deslocadas desde agosto, com o início dos combates na área. De acordo com Mia Farrow, alguns já fugiram 10 vezes para escapar da violência.

Ao todo, 1 milhão de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas em Kivu Norte. Mia Farrow afirmou que a maioria das pessoas visitadas por ela, estava doente.

Cólera

A atriz explicou que muitos postos de saúde foram fechados por causa da violência. Segundo Mia Farrow, existem de 300 a 400 novos casos de cólera por dia. Ela disse que vários trabalhadores de ajuda humanitária estão fazendo o que podem, mas não conseguem acessar grande parte da região por causa dos combates.

A embaixadora da Boa Vontade do Unicef afirmou que a situação da RD Congo é um das mais chocantes já vistas por ela em suas visitas com as Nações Unidas.