Zimbabué regista quase mil mortes por cólera

Zimbabué regista quase mil mortes por cólera

Segundo Ogranização Mundial da Saúde, número de infectados subiu para 18,4 mil.

João Rosário, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou o Conselho de Segurança de que os líderes do Zimbabué não estão a fazer o necessário para lidar com a difícil situação em que se encontra o país.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, o país já resgistou 978 mortes por cólera.

Falhanço Líderes

Ban disse que os responsáveis políticos zimbabueanos não estão a fazer tudo o que podem para ajudar a população a lidar com o surto de cólera.

Numa reunião, esta segunda-feira, em Nova Iorque, o Secretário-Geral da ONU revelou aos membros do Conselho de Segurança que há mais de 18,4 mil infectados, desde que o surto começou, em Agosto.

Ban Ki-moon disse que a presente epidemia de cólera é apenas a mais visível manifestação de uma profunda crise em vários sectores do Zimbabué.

O Secretário-Geral afirmou que se continua a observar o falhanço da liderança do Zimbabué em lidar com a situação política, económica, de direitos humanos e com a crise humanitária com que se confronta o país.

Ban acrescentou que os líderes zimbabueanos não estão a fazer tudo o que podem para ajudar a população.

Esforços

No terreno, a Organização Mundial da Saúde, OMS, conta montar esta semana um Centro de Comando para Controlo da Cólera, a partir de onde vai coordenar o combate à doença em colaboração com o Ministério da Saúde zimbabueano.

Por seu lado, a Cruz Vermelha Internacional distribuirá nos próximos dias medicamentos para 4,8 mil pessoas e produtos para desinfectar 10 milhões de litros de água.