Mundo tem 200 milhões de migrantes internacionais
BR

18 dezembro 2008

Mensagem da OIT para marcar Dia Internacional dos Migrantes informa que 50% deles são homens e mulheres trabalhadores.

João Rosário & Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York*.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, informou que metade dos 200 milhões de migrantes internacionais são trabalhadores.

Numa mensagem para marcar o Dia Internacional dos Migrantes, nesta quinta-feira, a OIT alertou sobre o efeito da crise econômica para migrantes em todo o mundo.

Parte da Solução

O diretor-geral da OIT, Juan Somavía disse que, no passado, trabalhadores que vivem fora de seus países foram os primeiros a ser afetados pela crise.

Segundo ele, é importante não fazer dos migrantes o que ele chamou de bode expiatório da crise.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, também divulgou mensagem sobre o tema, como explicou à Rádio ONU, de Lisboa, a chefe da Missão da OIM em Portugal, Monica Goracci.

“A mensagem é para não transformar a crise econômica numa crise de migração. Tendo presente que os migrantes podem ser parte da solução, isso pode ajudar a sair desta crise mais cedo do que se espera. Já houve crises no passado e o que aprendemos é que, não é por estarmos numa crise, que não precisamos de migrantes”, disse.

Maratona de Rádio

De acordo com Goracci, a OIM espera que os países permitam o trânsito dos migrantes e a sua proteção de esquemas ilícitos.

Uma iniciativa da Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está reunindo várias emissoras de rádio para uma programação global.

A proposta é a veiculação de programas e entrevistas para divulgar os esforços e as conquistas de migrantes por todo o planeta.

No ano passado, mais de 150 estações de rádio em 25 países participaram do programa.

Apresentação*: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud