Navios chineses recebem protecção contra piratas

26 dezembro 2008

Representante na ONU, Zhang Yesui, confirmou envio de embarcações da marinha para o Golfo de Áden e Somália; dezenas de ataques foram realizados em 2008.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York*.

O embaixador da China nas Nações Unidas, Zhang Yesui, informou que o seu país enviou navios da marinha para o Golfo de Áden e para a costa da Somália para proteger embarcações chinesas de ataques de piratas.

O embaixador fez a declaração na sede da ONU, em Nova Iorque.

Paz e Segurança

Segundo o embaixador Yesui, como membro permanente do Conselho de Segurança, a China tem grande responsabilidade no processo de manutenção da paz e da segurança.

De acordo com agências de notícias, foram enviados dois navios de guerra e um de abastecimento.

Esta pode ser a primeira vez que embarcações da Marinha chinesa estarão a participar numa operação fora do Oceano Pacífico.

Anarquia

Desde o início do ano, piratas no mar da Somália já realizaram dezenas de ataques a embarcações estrangeiras. O tema foi levado ao Conselho de Segurança pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em meados deste mês.

Para Ban, o problema dos ataques não pode ser separado da necessidade de um plano de paz abrangente para o país africano. Segundo o Secretário-Geral, a pirataria é parte do estado de anarquia que já dura há 17 anos.

A Somália está sem um governo central desde 1991, quando o ex-presidente Mohammed Siad Barre deixou o poder.

Na última entrevista deste ano aos jornalistas, em Nova Iorque, Ban informou que já contatou cerca de 50 países para discutir a liderança de uma possível força multinacional para a Somália.

Mas de acordo com Ban Ki-moon, ninguém se propôs a chefiar as tropas.

*Apresentação: João Rosário, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud