Governo da RD Congo declara surto de ébola no sul do país

26 dezembro 2008

As autoridades congolesas dizem que a febre hemorrágica que matou nove pessoas no sul do país foi identificada como ébola; a doença não tem cura e, em caso de surto, mata mais de metade dos infectados.

João Rosário, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O ministro da saúde da República Democrática do Congo, Mopipi Mukulumanya, identificou como ébola o vírus que matou nove pessoas no sul do país.

De acordo com agências de notícias, o vírus terá aparecido no oeste da província do Kasai no dia 27 de Novembro, tendo sido enviadas amostras de sangue para serem analisadas em laboratórios do Gabão e da África do Sul.

Sem Cura

Segundo as agências de notícias, o ministro da saúde da RD Congo, Mopipi Mukulumanya, declarou que “as amostras recolhidas na aldeia de Kalwamba indicam que há uma epidemia da febre viral hemorrágica ébola”.

O ébola é uma doença sem cura neste momento e mata entre 50% e 90% dos infectados.

O ministro da saúde congolês disse que um surto de ébola, registado no ano passado na mesma região, provocou 174 mortes e infectou mais de 400 pessoas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud