Unicef condena apedrejamento de menina na Somália BR

Unicef condena apedrejamento de menina na Somália

Depois de ter sido violentada por três homens, Aisha Duhulow pediu proteção às autoridades locais, que a acusaram de adultério.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, descreveu, nesta terça-feira, o apedrejamento de uma menina de 13 anos na Somália como deplorável.

Aisha Duhulow foi apredejada à morte diante de espectadores num estádio na cidade de Kismayo, em 27 de outubro, sob acusação de adultério.

Trágico e Deplorável

Segundo relatórios, a adolescente foi estuprada por três homens quando caminhava para a casa da avó, em Mogadíscio.

Depois de ter sido violentada, Aisha Duhulow pediu proteção às autoridades locais, que a acusaram de adultério.

O representante do Unicef na Somália, Christian Balslev-Olesen, descreveu o incidente como trágico e deplorável. E disse que a criança foi vitimada duas vezes, primeiro pelos perpetradores do estupro e depois pelos responsáveis pela administração da justiça.

O Unicef disse ainda que o incidente releva a vulnerabilidade extrema de meninas e mulheres somalis.