Ban pede libertação de assistentes humanitários na Somália
BR

6 novembro 2008

Secretário-Geral das Nações Unidas pediu às partes envolvidas que respeitem a neutralidade e imparcialidade das equipes humanitárias; e lembrou que quase 50% da população somali contam com a ajuda destes trabalhadores para sobreviver.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, condenou, de forma veemente, nesta quarta-feira, o seqüestro de quatro assistentes humanitários e dois pilotos na cidade de Dusamareb, na Somália. Ban pediu a libertação imediata das vítimas.

De acordo com agências de notícias, as seis pessoas seqüestradas nesta quarta-feira trabalhavam com a organização não-governamental francesa, Ação Contra a Fome.

Neutralidade e Imparcialidade

O Secretário-Geral disse estar profundamente preocupado com os assassinatos e seqüestros de assistentes humanitários que vem ocorrendo na Somália.

Ele pediu às partes envolvidas que respeitem a neutralidade e imparcialidade das equipes humanitárias. E lembrou que quase 50% da população somali contam com a ajuda destes trabalhadores para sobreviver.

Na última quarta-feira, dois assistentes da ONU foram mortos por um atentado à bomba no prédio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, no norte do país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud