Cristãos iraquianos retornam à casa, diz Acnur (Português para o Brasil)

Cristãos iraquianos retornam à casa, diz Acnur (Português para o Brasil)

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados informou que os níveis de violência na região reduziram significantemente; muitas famílias cristãs estão retornando à suas casas graças a promessa de segurança feita pela comunidade árabe em Mosul.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, informou nesta terça-feira, que mais de mil famílias cristãs, forçadas a deixar a cidade de Mosul, no norte do Iraque, estão retornando graças a melhora na situação de segurança.

Segundo o Acnur, os 35 mil soldados e policiais enviados pelo governo iraquiano à região reduziram drasticamente os níveis de violência, e muitos cristãos estão retornando graças a promessa de segurança feita pela comunidade árabe em Mosul.

Violência

Os ataques e ameaças contra a comunidade cristã iraquiana e outras minorias, ocorridos em outubro, causaram a fuga de cerca de 9 mil moradores da segunda maior cidade do país.

O Acnur disse que tem fornecido cobertores, colchões, fogões, utensílios de cozinha e kits de higiene para mais de 1,8 mil famílias cristãs que ainda não puderam retornar à Mosul.

Religião

Ainda nesta terça-feira, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, falou sobre a Conferência Inter-Religiosa que terá início neste 12 de novembro, na sede das Nações Unidas, em Nova York.

Ban disse que apóia o evento que tem como objetivo promover valores comuns à todas as religiões do mundo e ajudar no combate ao extremismo, preconceito e ódio.

Representantes de 65 países deverão falar durante a conferência de dois dias, incluindo o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, o rei Abdullah, da Arábia Saudita e o presidente de Israel, Shimon Peres.