Ban preocupado com pirataria na Somália

Ban preocupado com pirataria na Somália

O Secretário-Geral da ONU reiterou a sua condenação de todos os actos de pirataria e banditismo armado no mar e apoiou esforços dos estados membros para enfrentarem o flagelo.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU manifestou a sua preocupação por novos actos de pirataria ao largo da costa da Somália.

Num comunicado emitido em Nova Iorque, Ban Ki-moon reiterou a sua condenação de todos os actos de pirataria e banditismo armado no mar e apoiou os esforços dos estados membros das Nações Unidas para enfrentarem esse flagelo.

Força Marítima

O Secretário-Geral está a trabalhar estreitamente com o governo Federal de Transição na Somália, com a Organização Marítima Internacional, a Nato, a União Europeia e outros estados membros para garantir um esforço internacional coordeando de combate à pirataria.

Ban Ki-moon saudou a decisão da União Europeia de autorizar o posicionamento de uma força marítima ao largo da costa da Somália, e os esforços de estados membros de enviarem barcos a título individual para reforçar a segurança na área.

Acordo de Djibuti

A situação de pirataria na Somália foi também incluída no último relatório do Secretário-Geral ao Conselho de Segurança, sobre o país.

No documento, Ban Ki-moon volta a reiterar que as condições no terreno não são conducentes ao estabelecimento de uma operação de manutenção de paz da ONU na Somália.

O relatório pede à comunidade internacional para apoiar a actual missão da União Africana no país e refere que o acordo de Djibuti continua aberto a todos os somalis.