ONU condena atentado na Guiné-Bissau

ONU condena atentado na Guiné-Bissau

Secretário-Geral, Ban Ki-moon (foto), diz que ataque contra casa do presidente, após eleições, pode impactar frágil estabilidade do país.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York*

As Nações Unidas condenaram, de forma veemente, o atentado contra a residência oficial do presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo Nino Vieira.

Numa nota, emitida pela sua porta-voz, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que alegações de participação de integrantes das Forças Armadas no ataque são motivo de grande preocupação.

Ex-Colônia Portuguesa

Ban pediu que as partes envolvidas evitem qualquer medida que possa desestabilizar, ainda mais, o país do oeste da África.

Segundo agências de notícias, uma pessoa morreu e várias ficaram feridas após os disparos neste domingo.

O ataque ocorreu pouco depois do anúncio do resultado das eleições legislativas do país, realizadas no último dia 16.

De acordo com o Secretário-Geral da ONU, o povo da Guiné-Bissau manifestou, de forma maciça, o desejo por um governo pacífico e democrático. Para Ban, o ataque contra a casa do presidente pode ter um efeito arrasador na frágil estabilidade da ex-colônia portuguesa.

Investigação

Na nota, o Secretário-Geral da ONU pediu às autoridades guineenses que restabeleçam a lei e a ordem e que iniciem uma investigação abrangente para apurar o caso.

Ban Ki-moon afirmou que está na hora de acabar com, o que ele chamou, de padrão destrutivo de instabilidade e desrespeito às instituições democráticas na Guiné-Bissau.

A ONU mantém um escritório, Unogbis, para ajudar na consolidação da paz no país, que já foi alvo de vários golpes de Estado.

*Apresentação: Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York