Nações Unidas pedem fim das prisões arbitrárias e ilegais
BR

3 outubro 2008

Alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas (foto) afirma que há pelo menos 1 milhão de crianças prisioneiras em todo o mundo.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos está lançando uma iniciativa para pressionar governos a abolir ou reduzir o número de detenções arbitrárias e ilegais.

A Iniciativa Dignidade e Justiça para Detidos, será marcada por uma série de eventos globais e nacionais, durante a semana do dia 6 ao 12 de outubro.

Refugiados

Segundo a alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas, Navi Pillay, milhões de pessoas em todo o mundo são detidas ilegalmente ou sofrem maus-tratos durante a detenção.

Pillay afirmou que entre os prisioneiros ilegais encontram-se pessoas com deficiência, refugiados, defensores de direitos humanos e pelo menos 1 milhão são crianças.

Segundo a alta comissária, os governos devem lembrar que prisioneiros também têm direitos e devem ser protegidos de abusos sexual, físico e emocional.

Pillay pediu ações mais eficientes para reduzir o que ela chamou de violação escondida aos direitos humanos.

A alta comissária parabenizou a decisão da Corte Suprema dos Estados Unidos de estender a constituição americana para os estrangeiros detidos em Guantánamo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud