Conselho de Segurança debate missão no Haiti
BR

8 outubro 2008

Minustah, que é comandada pelo general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, está no país caribenho desde 2004.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Os países-membros do Conselho de Segurança se reúnem nesta quarta-feira para debater a renovação do mandato da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti, Minustah, que termina no próximo dia 15.

De acordo com um relatório do Secretário-Geral, Ban Ki-moon, a situação política no país agravou-se a partir de abril com uma série de protestos violentos contra o preço dos alimentos.

Desafio

Por causa das manifestações, o Senado votou, no mesmo mês, pela destituição do primeiro-ministro Jacques-Edouard Alexis.

Desde junho de 2007, o preço dos combustíveis e da comida subiu mais de 55%.

Numa entrevista à Fabíola Ortiz, para a Rádio ONU, o comandante da Minustah, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, afirmou que atualmente o foco no Haiti é menos sobre a área de segurança e mais em reformas políticas.

“Os desafios não estão na área de segurança, mas nas áreas política, econômica e social. É preciso haver transformações na área política como por exemplo uma legislação sobre investimentos. Tudo isso é a área política que faz. Modificações do Poder Judiciário, mudanças na legislação da área de coleta de impostos. O Estado não sobrevive se não houver dinheiro para o orçamento”, explicou.

Além dos problemas políticos, o Haiti foi afetado em agosto por quatro tempestades tropicais e furacões. De acordo com o governo pelo menos 800 pessoas morreram.

*Reportagem: Fabíola Ortiz, Unic Rio, enviada especial a Porto Príncipe, Haiti

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud