OIT alerta sobre impacto da crise sobre empregos
BR

16 outubro 2008

Organização Internacional do Trabalho sugere que custos serão pagos por centenas de milhões de pessoas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório da Organização Internacional do Trabalho, OIT, sugere que a crise financeira mundial pode levar a mais aumento no nível de desigualdade salarial.

Leia o boletim de Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

"O Relatório Mundo do Trabalho 2008 revelou que o custo das crises econômica e financeira terá que ser pago por centenas de milhões de pessoas que não se beneficiaram do crescimento da economia na década passada.

Perdas

Segundo o estudo da OIT, a América Latina e o Caribe foram a região que mais sofreu perdas na participação de salários no Produto Interno Bruto, PIB, seguida pela Ásia e Pacífico e pelos países desenvolvidos.

O responsável pelo relatório, Raymond Torres, afirmou que o documento mostra que o abismo entre lares ricos e pobres tem aumentado desde os anos 1990.

O relatório foi baseado no resultado de análises em mais de 70 países de rendas alta, média e baixa.

Os níveis de endividamento de trabalhadores são maiores em países onde as atividades econômicas não são reguladas".

O relatório também cita a disparidade entre os salários de empregados e de executivos nos Estados Unidos.

Em 2007, os chefes das 15 maiores empresas do país ganhavam 520 vezes mais que o trabalhador mediano. Uma situação semelhante foi registrada em firmas da Austrália, da Alemanha, da África do Sul e de Hong Kong.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud