Pobreza extrema atinge 1,4 bilhão de pessoas

Pobreza extrema atinge 1,4 bilhão de pessoas

Campanha de acção global, “Levante-se e Faça a Sua Parte”, lançada nesta sexta-feira coincide com o Dia Internacional de Erradicação da Pobreza.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

Milhões de pessoas em todo o mundo participam nesta sexta-feira da campanha de acção global, “Levante-se e Faça a Sua Parte”. A inciativa que acaba neste domingo coincide com o Dia Internacional de Erradicação da Pobreza, comemorado pela ONU e outras organizações internacionais.

O ano passado, quase 44 milhões de pessoas levantaram-se para pedir o fim da pobreza nos cinco continentes.

Direitos Humanos

Em mensagem divulgada para celebrar a data, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que 60 anos após a adopção da Declaração Universal dos Direitos Humanos, centenas de milhões de pessoas ainda vivem sem os direitos básicos, como comida, casa, educação e condições de trabalho.

Ban realçou ainda os desafios impostos pela instabilidade económica e disse que a subida de preços de comida e combustível e a crise financeira mundial ameaçam o progresso da erradicação da pobreza e fome em várias partes do mundo onde cerca de mais 100 milhões de pessoas correm o risco de cair na pobreza.

O Secretário-Geral lembrou aos governos do compromisso de alcançar as Objectivos de Desenvolvimento do Milénio até 2015 e afirmou que este compromisso não é uma questão de caridade mas sim uma obrigação para a conquista de direitos humanos para todos.

Em Nova York, o dia foi marcado com cerimónias na sede da ONU com a participação dos funcionários. Em 2007, o número de pessoas que se levantaram contra a pobreza passou a fazer parte do livro Guiness dos recordes mundiais.

Apresentação*:Yara Costa, da Rádio ONU em Nova York.