Assembleia Geral vota fim do embargo contra Cuba

29 outubro 2008

Texto foi aprovado com 185 votos a favor, três contra e duas abstenções.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um projecto de resolução contra o embargo americano a Cuba, apresentado pelo governo de Havana, foi hoje aprovado pela Assembleia Geral da ONU por 185 votos a favor, três contra e duas abstenções.

Falando no debate que antecedeu a votação, a embaixadora do Brasil junto às Nações Unidas, Maria Luiza Ribeiro Viotti, afirmou que o embargo violava as regras do direito internacional e era contrário à Carta da ONU.

Diplomacia

A embaixadora brasileira, que falava em nome dos países do Mercosur, disse que a resolução inscrevia-se no contexto mais amplo do multilateralismo e da solução pacífica de divergências, que constituem princípios fundamentais das diplomacias da América do Sul.

A posição brasileira foi apoiada por vários países, incluindo Angola. O representante permanente angolano junto à ONU, Ismael Martins disse que o embargo tinha contribuido para uma série de privações em Cuba, além de prejudicar interesses de países terceiros.

Estados Unidos

Os Estados Unidos defenderam a continuação do embargo, afirmando que cada país tinha o direito de escolher os seus parceiros económicos.

O representante americano no debate salientou que o principal responsável pela crise económica em Cuba era o governo de Havana que continuava a violar os direitos humanos e económicos da sua população.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud