Execuções no Irã preocupam, diz ONU (Português para o Brasil)

Execuções no Irã preocupam, diz ONU (Português para o Brasil)

Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos afirma que pena de morte foi aplicada pelo país mais de 220 vezes neste ano.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York*.

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, demonstrou preocupação com relatos sobre a execução de menores infratores no Irã.

Segundo a agência da ONU, Reza Hedjazi e Behnam Zaare teriam sido executados entre 19 e 26 de agosto. Os crimes teriam sido cometidos quando Reza tinha 15 anos e Benham, 16.

Tratados

As Nações Unidas lembraram que o Pacto Internacional sobre Direitos Políticos e Civis e a Convenção sobre os Direitos da Criança proíbem a aplicação da pena de morte contra menores de 18 anos. O Irã é signatário dos dois tratados.

O escritório da ONU expressou preocupação também com mais dois outros casos de execução iminentes. Os dois menores, Mohammad Fadaaee e Amir Amrollahi, são acusados de homicídio, que teria sido cometido quando os dois tinham 16 anos.

A ONU pediu às autoridades iranianas que suspendam a aplicação da pena contra os dois.

De acordo com informações recebidas pelo Escritório de Direitos Humanos pelo menos 220 pessoas, incluindo seis delinqüentes juvenis, teriam sido executados desde janeiro deste ano no Irã.

Apresentação*: Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.