Mulheres vítimas de violência sexual rompem o silêncio na RD Congo (Português para África)

Mulheres vítimas de violência sexual rompem o silêncio na RD Congo (Português para África)

Evento organizado pelo Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, marcará a primeira vez que mulheres congolesas poderão compartilhar as suas históras publicamente.

Samantha Barthelemy, da Rádio ONU em Nova York.*

Mulheres vítimas de violação e abusos sexuais poderão compartilhar as suas histórias durante dois seminários, abertos ao público, na República Democrática do Congo.

O primeiro evento foi realizado, esta sexta-feira, na cidade de Goma. O próximo seminário acontecerá a 19 de Setembro, na cidade de Bukavu.

A iniciativa, organizada pelo Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, e pelo movimento internacional contra a violência feminina, V-Day, integra uma campanha para a emancipação das mulheres, de todas as idades, no país.

O evento, “Mulheres Rompem o Silêncio”, marca a primeira vez que mulheres congolesas vão poder compartilhar suas histórias, publicamente.

Vítimas

Segundo o Unicef, todas as 20 participantes dos seminários vão encerrar a partilha das suas histórias com uma declaração.

Estas declarações vão ser utilizadas como apelo para que o mundo aja para acabar com a violência contra as mulheres congolesas.

De acordo com a agência, desde 1996, mais de 200 mil mulheres foram vítimas de violência sexual na República Democrática do Congo.

Apresentação*: Patrícia Fonseca, Rádio ONU em Nova York.