Unctad defende capacidade produtiva em África (Português para África)

Unctad defende capacidade produtiva em África (Português para África)

Relatório aponta insucessos dos últimos 25 anos e apresenta opções de desenvolvimento.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, publicou um relatório esta segunda-feira intitulado “Desenvolvimento Económico em África 2008”.

Segundo o relatório, capacidade produtiva limitada é o principal obstáculo ao desenvolvimento das exportações no continente.

Queda

Em termos globais, segundo o documento, entre 1980 e 2007 a fatia do mercado global respeitante a África caiu de 6% para 3%.

O economista da Unctad, Rolf Traeger, disse à Rádio ONU, a partir de Genebra, que África perdeu terreno a nível global nos últimos 25 anos.

“Enquanto outros países, especialmente os países asíaticos, aproveitaram esta oportunidade do crescimento do comércio internacional para aumentar as exportações, eles investiram na produção industrial, produção agrícola etc, a África não fez isso, e não investiu o suficiente para reforçar a sua capacidade de produção de produtos exportáveis. Por isso perdeu participação no comércio internacional”, disse.

Agricultura

De acordo com o relatório, o sector agrícola é uma das áreas mais vulneráveis. O documento afirma que o continente passou de uma situação de produção alimentar significativa para uma situação de dependência de ajuda externa.

A explicação, diz o relatório, estaria na negligência em relação às políticas de desenvolvimento seguidas nos últimos 25 anos.

Olhando para o futuro, o relatório define duas áreas em que é necessário investir: maior produtividade e desenvolvimento de infra-estruturas e melhorias nos sectores de produção de electricidade, água e sistemas de telecomunicações.