Situação no Sudão preocupa, diz ONU

Situação no Sudão preocupa, diz ONU

Relatora especial da ONU diz que violações da lei humanitária são cometidas por agentes do governo e forças rebeldes.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

Um relatório apresentado esta terça-feira ao Conselho de Direitos Humanos, sugere que as violações da lei humanitária são cometidas por agentes do governo e forças rebeldes, ambos agindo com impunidade.

A afirmação é parte de um documento da relatora especial da ONU para o Sudão, Sima Samar, que afirma que o país enfrenta desafios consideráveis no respeito aos direitos humanos.

Detenções

Entre os vários casos citados no relatório, Samar refere a detenção arbitrária de civis após o ataque do Movimento para Justiça e Igualdade, JEM, contra Cartum no dia 10 de Maio.

As detenções, de acordo com o documento, teriam sido feitas com base em critérios étnicos.

O relatório afirma que cerca de 500 pessoas permanecem detidas em locais não identificados, sem acesso a advogados ou às suas famílias.

Outro problema referido no relatório de Sima Samar é o recrutamento de crianças-soldado, uma prática adoptada por todas as partes envolvidas no conflito incluindo as forças armadas sudanesas.