Aprovado plano estratégico para Guiné-Bissau

Aprovado plano estratégico para Guiné-Bissau

Iniciativa da Comissão de Consolidação da Paz da ONU define linhas de intervenção a médio e longo prazos para reformas e sector energético.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York*.

O Escritório de Apoio à Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Unogbis, anunciou, nesta quinta-feira, a adopção de um plano estratégico para a Guiné-Bissau.

O documento foi aprovado pelo Comité Nacional de Pilotagem da Comissão de Consolidação da Paz, PBC, que é formado pelo governo da Guiné-Bissau e por representantes da comunidade internacional. A PBC já colocou à disposição da Guiné-Bissau mais de US$ 5,6 milhões.

Eleições

O porta-voz do Unogbis, Vladimir Monteiro, falou à Rádio ONU, de Bissau, sobre o objectivo do plano.

"Vai-se trabalhar a médio e longo prazo, com intervenções na administração pública, através de uma reforma, com intervenções no sector energético e também na reforma da defesa e segurança. São reformas extremamente importante para a Guiné-Bissau, para reforçar a paz que foi ameaçada após o conflito de 1998", explicou.

O dinheiro deve ser destinado também à reabilitação de quartéis das forças armadas, apoio às eleições legislativas, marcadas para Novembro e a formação e criação de emprego para jovens.

O Comité Nacional de Pilotagem é co-presidido pelo ministro das Pescas, Armando Ramos e pelo Representante do Secretário-Geral da ONU, Shola Omoregie. E reúne representantes do sectores público e privado.

Apresentação*: Patrícia Fonseca, Rádio ONU em Nova York.