Altos preços geram 75 milhões de famintos, diz FAO

18 setembro 2008

Agência da ONU afirma que Meta do Milênio para redução da fome até 2015 está cada vez mais longe.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, informou, nesta quinta-feira, que os altos preços dos alimentos levaram mais 75 milhões de pessoas a passar fome no mundo.

De acordo com a FAO, o total de famintos em 2007 aumentou para 923 milhões.

Assembléia Geral

A agência da ONU também revelou que a disparada de preços reverteu os progressos feitos para se atingir a primeira Meta do Milênio de redução pela metade do número de pessoas passando fome no mundo.

Pelos novos cálculos da FAO, o alcance da meta, até 2015, torna-se cada vez mais remoto.

A declaração é feita uma semana antes do Encontro de Cúpula da ONU sobre as Metas do Milênio, em Nova York. O evento deve reunir chefes de Estado e governo de todo o mundo, poucos dias antes da abertura dos debates na Assembléia Geral.

Iniciativa

Analistas dizem que preços altos para alimentos, combustíveis e fertilizantes agravaram ainda mais o problema. Entre 2007 e 2008, o preço dos alimentos subiu 52%, e o dos fertilizantes quase dobrou.

Em dezembro, a FAO lançou a Iniciativa sobre a Alta nos Preços dos Alimentos para ajudar países mais vulneráveis a criar medidas de emergências para facilitar o acesso à comida.

O programa está sendo realizado em pelo menos 78 países, a maioria na África.

Apresentação*: Patrícia Fonseca, Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud