Ajuda vai chegar a 3 milhões no Zimbabué, diz Holmes

19 setembro 2008

O subsecretário-geral da ONU para Assistência Humanitária (foto) disse que o momento é crítico mas que as agências da ONU vão continuar a ajudar a população.

Cátia Marinheiro, da Rádio ONU em Nova York.

O subsecretário-geral da ONU de Assistência Humanitária, John Holmes, disse as agências humanitárias se estão a movimentar rapidamente para entregar ajuda aos mais necessitados no Zimbabué.

Holmes lembrou que o país atravessa um momento crítico, mesmo depois do acordo de paz e do levantamento das restrições ao trabalho das organizações não-governamentais.

Agricultura e Educação

Holmes disse que as ONGs e as agências da ONU voltaram a trabalhar nas operações de ajuda humanitária e que esperam atender cerca de 3 milhões de pessoas no Zimbabué, no próximo mês.

O subsecretário-geral da ONU para Assistência Humanitária também lembrou que o Zimbabué recebeu 60% dos cerca de US$ 400 milhões pedidos em 2008 para ajuda humanitária.

Os sectores que estão numa situação mais crítica e que precisam de mais ajuda são a agricultura e a educação. Mas a saúde, o acesso a água e saneamento também precisam de fundos.

Holmes apelou aos doadores e pediu ao governo do Zimbabué que deixe a comunidade internacional trabalhar de uma forma livre e segura no país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud