Número de deslocados na Geórgia preocupa

Número de deslocados na Geórgia preocupa

Representante de Ban Ki-moon, Walter Kaelin, disse que 100 mil pessoas estão expostas a perigos; ele disse que há relatos de saques e bloqueios de ajuda humanitária.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O representante do Secretário-Geral da ONU para Direitos Humanos de Deslocados Internos, Walter Kaelin, afirmou que está profundamente preocupado com o aumento no número de civis em fuga da violência na Geórgia.

Segundo Kaelin, 100 mil deslocados internos estão expostos a perigos constantes, tendo dificuldade em conseguir abrigos, cuidados médicos e alimentos.

Leia o boletim de Marta Barroso.

Residências

“Kaelin afirmou que recebeu relatos de que o fornecimento de ajuda humanitária estaria a ser bloqueado em algumas áreas, além de alegações de saques de residências abandonadas.

O representante de Ban Ki-moon pediu a todas as partes envolvidas no conflito, que começou na Ossétia do Sul na semana passada, que permitam a saída segura dos civis das áreas de combate.

Kaelin pediu à Rússia e à Geórgia que cumpram as suas obrigações de respeitar os direitos dos deslocados, oferecendo protecção e assistência.

Ele saudou a assinatura de um acordo de cessar-fogo e pediu aos governos georgiano e russo que evitem acções que levem mais pessoas a ter de deixar as suas casas.

Desarmamento

Numa nota emitida esta quinta-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, pediu a protecção das crianças”.

Em Genebra, o governo da Geórgia afirmou que as tropas russas estão a alvejar civis nos combates. A Rússia, por sua vez, alegou que o governo da Geórgia está a praticar uma política de limpeza étnica.

As afirmações foram feitas durante a Conferência sobre Desarmamento, que está a decorrer na Suíça.