Antigo líder congolês, Jean-Pierre Bemba, chega a Haia

Antigo líder congolês, Jean-Pierre Bemba, chega a Haia

Ele vai enfrentar acusações de crimes de guerra no Tribunal Penal Internacional, TPI.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O antigo líder rebelde congolês, Jean-Pierre Bemba, chegou esta quinta-feira ao Tribunal Penal Internacional, TPI, em Haia na Holanda, onde vai enfrentar acusações de crimes de guerra.

As informações foram prestadas pelo promotor do tribunal, Luis Moreno-Ocampo.

Transferido

Bemba foi transferido para o tribunal de Haia a partir de Bruxelas onde foi detido a 24 de Maio ao abrigo de um mandado do Tribunal Penal Internacional.

O antigo rebelde e vice-presidente da República Democrática do Congo é acusado de violações e torturas alegadamente cometidas pelas suas forças entre 2002 e 2003.

Segundo agências de notícias, Jean-Pierre Bemba nega as acusações.

Num desenvolvimento separado, o Tribunal Penal Internacional ordenou a libertação do primeiro suspeito de crimes de guerra, Thomas Lubanga, antigo líder da milícia União dos Patriotas Congoleses.

Julgamento

Segundo os juízes, Lubanga não poderá ter um julgamento justo porque os promotores teriam retido vários documentos, o que impediria o acusado de preparar a sua defesa.

No mês de junho, o tribunal suspendeu os procedimentos contra o líder rebelde congolês depois de ter sido revelado que a acusação não teria entregue mais de 200 documentos à defesa.

O antigo líder da milícia União dos Patriotas Congoleses operava na região de Ituri, no leste da República Democrática do Congo, e é acusado de vários crimes de guerra, entre eles recrutamento forçado de crianças-soldado.

Lubanga permanecerá sob custódia durante cinco dias enquanto o tribunal decide o passo seguinte a tomar.