ONU condena assassinato de funcionário na Somália

ONU condena assassinato de funcionário na Somália

Ali Osman Ahmed chefiava o Pnud no país; ele foi morto a tiro quando saía de uma mesquita em Mogadíscio.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, emitiu uma nota, esta segunda-feira, condenando o assassinato do chefe da agência em Mogadíscio, capital da Somália.

Segundo o Pnud, Ali Osman Ahmed trabalhava há vários anos para as Nações Unidas e dedicou a sua vida à melhoria das condições de vida na Somália.

Governo

De acordo com agências de notícias, Osman Ahmed foi morto a tiro ao sair de uma mesquita no domingo.

O irmão dele também foi ferido no ataque e está hospitalizado.

A Somália vive um conflito civil desde 1991 quando o presidente Mohammed Siad Barre deixou o governo.

Atentado

Numa nota separada, o representante especial do Secretário-Geral no Sudão, Ashraf Qazi, condenou, de forma veemente, o atentado contra um observador militar da ONU e um monitor das Forças Armadas do país.

Os dois foram feridos a tiros na manhã de segunda-feira em Agok, no sul do Sudão. Segundo a Missão da ONU no Sudão, Unmis, os tiros partiram de integrantes do Exército de Libertação do Povo do Sudão, Spla.