Zoellick pede globalização sustentável e inclusiva

Zoellick pede globalização sustentável e inclusiva

Presidente do Banco Mundial (foto) diz, em Tóquio, que o mundo precisa de proteger os mais fracos e defende fim de restrições nas compras do PAM.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, afirmou que o encontro do G-8, no Japão, precisa de levar esperança e alimentos a quem não os tem.

O grupo é formado pelos sete países mais industrializados do mundo acrescido da Rússia.

Acções de Combate

Zoellick fez a afirmação durante uma entrevista a jornalistas ao lado do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

O presidente do Banco Mundial disse que os líderes do G-8 precisam de aproveitar esta reunião para levar por diante acções de combate à crise alimentar mundial.

Ele disse que para ser bem-sucedida, a globalização tem que ser inclusiva e sustentável. Segundo ele, mais do que nunca, o mundo precisa de proteger os mais fracos.

Compras

Robert Zoellick também pediu à Assembleia Geral da ONU que adopte uma resolução pondo fim às restrições impostas às compras do Programa Alimentar Mundial, PAM.

Segundo ele, o fundo tem arrecadado cerca de US$ 3 mil milhões por ano em contribuições voluntárias mas deve precisar do dobro da quantia este ano por causa da crise alimentar.

Robert Zoellick afirmou que é preciso transformar a crise em oportunidades para o desenvolvimento a longo prazo.

Para ele, a saída está no aumento de investimentos nos sectores agrícolas dos países em desenvolvimento, principalmente os do continente africano.