G-8 falhou nos objectivos de curto prazo, diz Pnuma

G-8 falhou nos objectivos de curto prazo, diz Pnuma

Chefe de agência da ONU afirma que a reunião do G-8 não mostrou liderança forte a respeito de mudanças climáticas.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O director-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Achim Steiner, disse que os líderes do G-8 perderam a oportunidade de demonstrarem liderança forte no combate às mudanças climáticas.

Steiner fez a declaração após o anúncio de que os líderes dos sete países mais industrializados do mundo e da Rússia, haviam concordado em reduzir para metade a emissão de gases poluentes até 2050.

Forte Sinal

Mas segundo o chefe do Pnuma, a reunião falhou em apresentar metas de curto e médio prazos durante o encontro do G-8, em Hokkaido, no Japão.

Ele afirmou ainda que os líderes internacionais não anunciaram um acordo que possa servir de base para as negociações da próxima fase do Protocolo de Kyoto, que prevê a redução de emissões de gases que causam o efeito estufa.

Steiner disse ainda que o resultado final do G-8 não constitui um forte sinal para o combate ao aquecimento global a nível internacional.

Segundo ele, não há mais tempo a perder. É hora de colocar os números na mesa e mostrar aos países em desenvolvimento que as nações desenvolvidas estão a assumir compromissos sérios para combater o aquecimento global.

Novas Metas

O chefe do Pnuma disse que vários países como Alemanha, África do Sul, Indonésia, Noruega e Grã-Bretanha estão a assumir novas metas de redução de gases. Mas segundo ele, o processo não avançará enquanto todos os países industrializados não se comprometerem com metas definidas até 2020 e não em 42 anos.