Dia Mundial da População

Dia Mundial da População

Data está sendo marcada em várias partes do mundo; no Brasil, pesquisa sugere que número de vasectomias dobrou entre 1996 e 2006.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, está marcando nesta sexta-feira o Dia Mundial da População.

Sob o tema “Planejamento Familiar: é Um Direito, Vamos Fazer disso uma Realidade”, o dia enfatiza a saúde materna e o acesso a tratamento e prevenção de doenças para milhões de mulheres.

Relações

No Brasil, a data está sendo marcada com a promoção da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS-2006). Segundo o estudo, a taxa de fecundidade baixou de 2,5 filhos por mulher para 1,8.

E o número de vasectomias pulou de 2,5% para 5% entre 1996 e 2006.

A pesquisa foi realizada com mais de 15 mil mulheres em relações reprodutivas.

A demógrafa, Suzana Cavanaghi, que participou da pesquisa disse à rádio ONU que o planejamento é fundamental para o desenvolvimento das mulheres.

Mercado de Trabalho

“A fecundidade se não for planejada, muda totalmente a vida da mulher. Ela não pode estudar mais como estudaria, e mesmo se entrar no mercado de trabalho a mulher não vai ter as mesmas chances que outras sem filho. E já é difícil competir no mercado de trabalho logo se a mulher conseguir planejar a reprodução será importante”, afirmou.

Ainda de acordo com a pesquisa, o aumento da pílula foi de 4 pontos percentuais no período analisado, o número de ligadura de trompas baixou de 40% para 29% entre as mulheres entrevistadas.

A representante do Unfpa no Brasil, Alanna Armitage afirma que o planejamento familiar é mais que um plano, é um direito.

Países em Desenvolvimento

“Estamos celebrando 40 anos do planejamento familiar como direito humanos. Temos avançado muito, mas ainda há muito o que fazer. Temos enfatizado que este planejamento é um direito fundamental que pode melhorar a saúde das mulheres e a vida das comunidades e nações”, disse.

De acordo com a diretora-executiva do Unfpa, Thoraya Obaid, mais de 1 bilhão de pessoas entre 15 e 24 anos estão entrando em idade reprodutiva. Cerca de 80% deste total vivem em países em desenvolvimento.