Pesquisa mostra efeito de armas sobre menores

15 julho 2008

Estudo ‘Crianças e Armas em Zonas de Instabilidade’ pesquisou partes do Rio e de São Paulo além de outras capitais do mundo.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O Escritório das Nações Unidas para Desarmamento apresenta nesta terça-feira, na sede da ONU, uma pesquisa sobre os efeitos de armas na vida de crianças em oito países incluindo o Brasil.

Os pesquisadores analisaram também situações de menores na Colômbia, no Senegal, no Nepal, na África do Sul, no Iémen, no Haiti e nos Territórios Palestinos.

Escola

De acordo com a pesquisa, apoiada pelo Unicef, muitas crianças sofrem indiretamente com a violência, gerada por armas de fogo, deixando de ir à escola quando um familiar é morto ou ferido em disparos.

O estudo mostra ainda a situação de algumas crianças no Rio de Janeiro e em São Paulo.

A pesquisadora-sênior do Estudo sobre Pequenas Armas, Ananda Millard, falou à Rádio ONU que muitos menores andam armados “alegando fazer a própria segurança”.

Comércio Ilegal

“Se as crianças estão à procura de armas para fazer seu próprio sustento ou sua segurança ou até mesmo para conseguir um emprego, esta situação é muito grave. Nunca será exata a informação de quantas armas há ou quantas crianças têm acesso a armas. Se elas têm acesso e ferem alguém ou se foram vítimas das armas porque vivem numa área muito armada”, afirmou.

A apresentação do estudo ocorre, de forma paralela, ao Terceiro Encontro Bienal de Países para Analisar a Implementação do Programa de Ação para Prevenir, Combater e Erradicar o Comércio Ilegal de Pequenas Armas e Armas Leves.

Segundo dados das Nações Unidas, o mundo tem cerca de 650 mil armas em mãos de civis. Uma em cada mil é desviada.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud