Globalização tirou milhões da pobreza, diz OMC

Globalização tirou milhões da pobreza, diz OMC

Relatório Comércio Global 2008 sugere que comércio global traz benefícios mas é preciso uma distribuição de ganhos.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial do Comércio, OMC, lança esta terça-feira o relatório “Comércio Global 2008: Comércio num Mundo Globalizado”.

O estudo, publicado em Genebra, defende que o comércio e a globalização trouxeram prosperidade a centenas de milhões de pessoas assim como mais estabilidade entre as nações.

Mas segundo o documento, existem problemas na distribuição de ganhos de forma mais equitativa.

Distribuição

Na introdução, o director-geral da OMC, Pascal Lamy, afirma que apesar dos ganhos obtidos, grupos de indivíduos em muitas sociedades não têm acesso às vantagens provenientes da globalização.

Um outro tópico do estudo é a opinião pública sobre a globalização. De acordo com a pesquisa, apesar de concordar com as vantagens da integração entre países, muitas pessoas, nomeadamente, de nações mais ricas, acreditam que a globalização pode, a longo prazo, trazer mais prejuízos que benefícios.

A assessora de imprensa da Organização Mundial de Comércio, Janaína Borges, falou à Rádio ONU, de Genebra, sobre o aumento do cepticismo.

“Nos países ricos uma parcela maior da população tem medo dos efeitos da globalização. Os que apoiam a globalização e o comércio exterior ainda são a maioria mas a parcela que tem medo dos efeitos ou que afasta o comércio internacional e a globalização tem crescido nos últimos anos”, afirmou.

De acordo com o documento, a liberalização do comércio nos países em desenvolvimento não foi acompanhada por uma redução da pobreza e das desigualdades.

Segundo o relatório, uma das fontes de desigualdade nestes países seriam as mudanças tecnológicas que afectam a força de trabalho, na sua maior parte não especializada.