ONU afirma que não vai interromper actividades no Sudão

ONU afirma que não vai interromper actividades no Sudão

Unamid prossegue com operações no terreno e eleva o nível de segurança.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

A porta-voz da Missão das Nações Unidas e da União Africana em Darfur, Josephine Guerrero, informou esta terça-feira que a situação está calma nas duas missões da ONU no país, uma em Cartum, capital do país, e outra em Darfur, no oeste do Sudão.

A porta-voz da Unamid, Josephine Guerrero, falou à Rádio ONU e disse que as operações da ONU no Sudão continuam activas.

Segundo Guerrero, as forças da Unamid estão no terreno, as patrulhas continuam e todos os programas humanitários permanecem activos.

Na segunda-feira, manifestantes saíram às ruas para protestarem contra a decisão do Tribunal Penal Internacional, TPI, de indiciar o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad Al Bashir, por crimes contra a Humanidade e acusações de genocídio.

Assistência de Saúde

A porta-voz da Unamid afirma que o nível de segurança foi elevado para o nível quatro, um nível que implica a deslocalização de funcionários não-essenciais.

O tenente-coronel do Departamento de Manutenção das Operações de Paz, Jorge Silveira, falou à Rádio ONU, de Nova York, sobre o que significa esta fase.

“Quando se fala em fase quatro estamos a falar numa missão em que a conduta das operações vai ficar mais ou menos restringida áquilo que são entendidas como operações de emergência”, afirma.

Conflito

O caso que responsabiliza o presidente do Sudão por crimes de guerra foi levado ao TPI pelo promotor Luis Moreno-Ocampo.

Todas as acusações são relacionadas com o conflito em Darfur, que começou em 2003 entre tropas do governo, milícias e grupos rebeldes.

O governo sudanês nega as acusações e diz que o caso tem motivações políticas.