ONU quer mais apoio contra narcotráfico na Guiné-Bissau BR

ONU quer mais apoio contra narcotráfico na Guiné-Bissau

Representante especial do Secretário-Geral da ONU para a Guiné-Bissau, Shola Omoregie (foto) afirmou em declaração que situação no país é preocupante.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.*

O representante especial do Secretário-Geral da ONU para a Guiné-Bissau, Shola Omoregie, apelou à comunidade internacional para apoiar a luta da Guiné-Bissau contra o narcotráfico.

Numa declaração emitida esta quarta-feira, Omoregie afirmou que a apreensão de dois aviões no aeroporto internacional de Bissau é um sinal preocupante.

Tráfico

Segundo agências de notícias, os dois aviões foram apreendidos pelas autoridades de Guiné-Bissau durante o fim de semana. As aeronaves estariam alegadamente envolvidas no tráfico de drogas.

O encarregado de informação do Gabinete das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Vladimir Monteiro, explicou a Rádio ONU de Nova York porque o país é vulnerável aos traficantes.

Ponto Fraco

“É um ponto fraco porque as autoridades não dispõe de muitos meios. É um país que oferece condições geográficas que facilitam essa permanência dos narcóticos, tendo um arquipélago de mais ou menos 50 ilhas abandonadas que são as ilhas Bijagós”, disse.

Segundo a declaração, em outubro deste ano a Comunidade de Estados da África Ocidental, Cedeao, vai realizar na capital cabo-verdeana, Cidade da Praia, uma conferência regional sobre o tráfico de drogas na África Ocidental.

A Conferência Internacional sobre Tráfico de Drogas na Guiné-Bissau aconteceu em dezembro de 2007 na capital portuguesa, Lisboa. Na ocasião os participantes comprometeram-se a doar US$ 6,7 milhões de dólares, para o Plano de Emergência para Combate ao Narcotráfico e Crime Organizado.

Apresentação*: Eduardo Costa, Rádio ONU em Nova York.