Conversações da OMC terminam com insucesso (Português para África)

Conversações da OMC terminam com insucesso (Português para África)

Estados Unidos, China e Índia revelam diferenças; tarifas agrícolas permanecem no cerne da questão.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

As conversações da Organização Mundial do Comércio, OMC, terminaram em Genebra esta terça-feira sem terem sido alcançados os resultados desejados.

O objectivo do encontro era alcançar um acordo na liberalização do comércio mundial, um processo conhecido como a Ronda de Doha.

Segundo agências de notícias, o director-geral da OMC; Pascal Lamy, confirmou o insucesso das conversações iniciadas no dia 21 de Julho.

Solução

Antes do anúncio, a assessora de imprensa da OMC, Janaína Borges, falou à Rádio ONU, a partir de Genebra, e disse que segundo o director da OMC, Pascal Lamy, o comércio faz parte da solução da crise alimentar mundial.

“O comércio de alimentos é bastante restrito por barreiras comerciais e essas restrições, elas afectam a produção em países em desenvolvimento. Parte dos países em desenvolvimento poderiam ter hoje uma produção muito maior se o comércio nesse sector fosse um pouco mais aberto, um pouco mais transparente”, disse.

A ronda de Doha foi lançada no Catar em 2001 e era vista como a chave para o futuro do comércio global.

Acesso

Segundo agências de notícias, os Estados Unidos e a União Europeia pretendem mais acesso às economias emergentes, incluindo a China e Índia, a fim de oferecerem serviços.

Por outro lado, os países em desenvolvimento pretendem mais acesso ao mercado europeu e norte-americano para os seus produtos agrícolas.

A primeira semana de negociações foi marcada por um optimismo relativo até à emergência de obstáculos entre os Estados Unidos, a Índia e a China.