Ban apela a aumento da produção alimentar

3 junho 2008

Segundo Secretário-Geral da ONU, mundo tem oportunidade histórica para revitalizar o sector agrícola.~~

João Duarte & Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que o mundo precisa de aumentar a produção de alimentos em 50% até 2030.

Ban fez a declaração durante a Conferência Internacional da FAO sobre Segurança Alimentar Mundial, em Roma, na Itália.

Medidas Ousadas

Ban Ki-moon pediu aos líderes internacionais que tomem medidas urgentes e ousadas para resolverem a crise. Ele disse que em 2015, o mundo terá mais de 7 mil milhões de habitantes e o problema actual só aumentará, se nada for feito.

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva discursou também na abertura da Conferência Internacional sobre Segurança Alimentar, em Roma, e disse que o etanol não é o culpado da actual crise dos alimentos.

Indignação

“Vejo com indignação que muitos dedos apontados contra a energia limpa dos biocombustíveis estão sujos de óleo e de carvão. Vejo com desolação que muitos que responsabilizam o etanol, inclusive o etanol da cana-de-açúcar pelo alto preço dos alimentos, são os mesmos que há décadas mantêm políticas proteccionistas em prejuízo dos agricultores dos países mais pobres e de consumidores de todo o mundo”, afirmou.

Antes de discursar na reunião da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, Lula encontrou-se com o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Leia o boletim de Marcelo Torres, da Rádio ONU, em Roma.

“O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu que a comunidade internacional não perca a oportunidade histórica de revitalizar a agricultura do mundo. Para ele, a meta deve ser aumentar em 50% a produção mundial de alimentos até 2030.

Para isso, de acordo com Ban Ki-moon, seria necessário diminuir as tarifas de importação de vários países.

Encontro Separado

Na véspera da abertura da conferência, Ban reuniu-se com Lula num encontro privado. O presidente foi acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Após a reunião, Amorim falou a jornalistas e disse que Ban lembrou que a discussão sobre a crise dos alimentos não deve ser politizada mas sim técnica”.

Discursaram ainda na conferência o presidente do Irão, Mahmoud Ahmadinejad e o presidente do Zimbabué, Robert Mugabe.

A conferência da FAO, em Roma, termina esta quinta-feira.

Apresentação*: João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud