Banco Mundial pede suspensão de barreiras (Português para o Brasil)

Banco Mundial pede suspensão de barreiras (Português para o Brasil)

Segundo presidente do órgão, Roberto Zoellick, tarifas sobre exportação de alimentos geram aumento e prejudicam pobres.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York.

Vários líderes internacionais, que participam da Conferência da ONU sobre Segurança Alimentar, em Roma, pediram o fim imediato das barreiras e restrições sobre exportação de alimentos.

Segundo o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, a taxação só gera aumento além de prejudicar os mais pobres.

Entraves

Zoellick pediu que os 28 países que impuseram restrições alfandegárias à exportação de alimentos suspendam as barreiras para evitar o agravamento da crise.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-mon, afirmou em seu discurso na abertura da conferência que o mundo precisa de soluções imediatas e de longo prazo para lidar com a questão.

Já o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, disse as que barreiras excessivas são um entrave ao crescimento dos países e uma das causas da crise alimentar mundial.

“Outro fator decisivo para o aumento do preço dos alimentos é o intolerável protecionismo com que os países ricos cercam a sua agricultura, atrofiando e desorganizando a produção em outros países, especialmente os mais pobres. A chamada crise dos alimentos é acima de tudo uma crise de distribuição”, disse.

A conferência da FAO termina nesta quinta-feira, em Roma, com uma declaração baseada num plano de ação para combater a crise.

Apresentação*: Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.