Ocha preocupado com situação no Zimbabué (Português para África)

6 junho 2008

ONGs enfrentam restrições parciais ou totais nas operações levadas a cabo no país.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, expressou preocupação com as restrições impostas sobre organizações não-governamentais, ONGs, que operam no país.

Segundo o Ocha, as ONGs enfrentam restrições totais ou parciais das suas actividades no país.

Eleições

A porta-voz do Ocha, Elizabeth Byrs, disse, de Genebra, que sem a presença das ONGs o trabalho que os programas humanitários da ONU desenvolvem no país serão dificultados.

As restrições foram impostas enquanto se aguarda a realização da segunda volta das eleições presidenciais marcada para o dia 27 de junho.

O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Rupert Colville, recordou declarações feitas esta semana pela alta comissária de Direitos Humanos, Louise Arbour, segundo as quais privar pessoas de alimentos devido a eleições é “uma extraordinária perversão da democracia”.

As operações da ONU e das ONGs parceiras no Zimbabué beneficiam 4 milhões de pessoas, ou seja, um terço da população.

Mais de metade da população do Zimbabué vive com menos de US$1 por dia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud