Unesco condena assassinato de jornalistas no Iraque (Português para o Brasil)

6 junho 2008

Agência da ONU diz que profissioinais da imprensa no país estão pagando preço muito alto para ter o direito de exercer a carreira.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Koïchiro Matsuura, condenou nesta sexta-feira o assassinato de dois jornalistas no Iraque.

O cameraman da emissora de televisão Afaq, Wissam Ali Ouda, de 32 anos, foi morto ao chegar em sua casa em Al-Obeidei, um distrito de Bagdá.

Profissão

Já o repórter do jornal Al-Shark, Al-Husseini, 36, foi seqüestrado e depois morto em Baquba, a 60 km da capital iraquiana.

Segundo a Unesco, jornalistas iraquianos estão pagando um preço muito alto para ter o direito de exercer sua profissão

De acordo com a ONG, Repórteres Sem Fronteiras, sete jornalistas foram assassinados no Iraque desde o início do ano.

Apresentação*: Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud