Aumenta número de refugiados no mundo

Aumenta número de refugiados no mundo

Estudo da ONU sugere que aumento ocorre pelo segundo ano consecutivo após tendência de queda registada até 2005.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York*.

Um estudo do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, revela que o número de refugiados no mundo subiu para 11,4 milhões entre 2006 e 2007.

O aumento representa mais de 10% do total de 9,9 milhões registados no ano anterior.

150 países

De acordo com o relatório “Tendências Globais 2007”, publicado em Genebra, entre os deslocados internos, o crescimento foi ainda maior passando de 20 milhões para quase 24,5 milhões no mesmo período.

A pesquisa foi realizada em 150 países.

O alto comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, disse que o mundo enfrenta hoje uma situação que pode levar a mais deslocamentos forçados de pessoas.

O porta-voz do Acnur, William Spindler, disse à Rádio ONU, de Genebra, que o Iraque é a razão para o aumento.

Violência

“No ano passado, mais 800 mil iraquianos foram forçados a abandonar o seu país por causa da situação. Esta é a maior proporção e contribuiu para o aumento no número de refugiados no ano passado”, disse.

Segundo Spindler, a razão para que muitos iraquianos deixem as suas casas variam.

“A condição continua sendo instável e também é caracterizada por uma situação de violência generalizada. Nestas condições, as pessoas continuam a fugir do país por causa da insegurança e também por causa de transtornos económicos e falta de serviços e alimentos médicos, electricidade. Todas estas causas contribuem para uma situação que não permite o restabelecimento da normalidade no país”, disse.

Estados Unidos

O relatório aponta que quase metade dos refugiados sob a protecção do Acnur são afegãos e iraquianos. Os colombianos formam o terceiro maior grupo, seguidos de sudaneses e somalis.

Entre os países de refúgio estão o Paquistão, Síria, Alemanha e Jordânia.

Os Estados Unidos são o país que mais refugiados recebeu no ano passado, abrigando 48 mil pessoas seguido do Canadá, Austrália, Suécia, Noruega e Nova Zelândia.

Apresentação*: João Duarte, Rádio ONU em Nova York.